Tag: cava

um passeio pela terra do vinho e do cava

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Vino y cava é o nome de um passeio de ônibus, com duração de quase um dia, que visita três vinícolas na região do Penedès, cada uma com um perfil diferente da outra. A Bodega Jean Leon, que elabora vinhos de alta qualidade, as Bodegas Torres, uma das maiores vinícolas da Espanha, e as Cavas Freixenet, a maior produtora de cavas (o tradicional vinho espumante catalão) do mundo.

É um passeio oferecido pelo Catalunya Bus Turístic e conta com acompanhamento de guia (catalão, espanhol e inglês). É possível comprar separadamente um audioguia com narração do passeio em português (falado em Portugal).

Fomos testar o passeio para compartilhar com você como foi nossa experiência.

Saída de Barcelona

Catalunya Bus Turistic

O ponto inicial do passeio é a Plaça de Catalunya, bem em frente do El Corte Inglés, e ao lado do ponto final do Aerobús, o ônibus do aeroporto. O passeio parte às 8:30h e a indicação é que você esteja no ponto inicial 20 minutos antes do horário de partida. Dependendo do dia da semana, você pode encontrar mais de um ônibus do Catalunya Bus Turístic, estacionados um atràs do outro. Cada ônibus realiza um passeio diferente. É fácil saber qual é o seu, o nome do passeio está indicado na parte frontal do ônibus.

Subindo no ônibus, o guia do passeio vai conferir sua passagem e oferecer a possibilidade de comprar um audioguia, que inclui narração do passeio em português (de Portugal). Aliás, o mesmo audioguia contém as narrações dos três passeios realizados no Catalunya Bus Turístic e pode ser reaproveitado se você fizer alguma outra excursão oferecida pela a empresa. Terminado o passeio, o audioguia fica com você.

de Barcelona à região do Penedès

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A região vinícola do Penedès não fica longe de Barcelona, e na viagem até lá o guia apresenta a excursão, explica o que vai ser feito durante o dia e oferece várias informações sobre Barcelona, a Catalunha e a região que vai ser visitada.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Dentro da região do Penedès, o ônibus percorre estradas estreitas dominadas por um interminável mar de vinhedos.

Logo após uma hora de ônibus, chega o momento da primeira visita do dia, a Bodega Jean Leon. Antes de chegar à bodega, é exibido um vídeo introdutório ainda no ônibus, apresentando a história da bodega e do seu fundador, Jean Leon.

Bodega Jean Leon

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Jean Leon é a menor das três vinícolas que são visitadas no passeio. Está especializada em vinhos de alta qualidade.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A visita à vinícola conta com três partes diferenciadas. Logo após a chegada, a visita se inicia percorrendo o pequeno museu da bodega, com ítens relacionados com a pitoresca história de Jean Leon.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Jean Leon foi um emigrante espanhol, de nome Ceferino Carrión, que depois de passar por muitas tragédias pessoais rumou clandestinamente para os Estados Unidos. Percorreu quase todo o território americano, trabalhando em muitas atividades diferentes até finalmente se estabelecer em Beverly Hills. O sonho de ter um restaurante de luxo, o La Scala, seria possível através de uma sociedade com James Dean, que faleceu antes da concretização do projeto. O sucesso do restaurante La Scala permitiu que Jean Leon estivesse em contato direto com os protagonistas da era dourada de Hollywood, além de vários presidentes dos Estados Unidos.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Jean Leon queria oferecer vinhos diferenciados para os clientes de seu luxuoso restaurante e procurou um lugar ideal para estabelecer uma vinícola e poder produzir vinhos da maior qualidade. Jean Leon acabou comprando vários terrenos na região vinícola do Penedès, onde se encontra a bodega. Jean Leon foi a primeira vinícola espanhola a usar as uvas das variedades Cabernet Sauvignon e Chardonnay.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A segunda parte da visita atravessa uma parte de vinhedos, com fileiras de diferentes espécies, até chegar às bodegas onde são produzidos os vinhos da marca Jean Leon. É muito legal poder ver a uva antes da colheita. Como fizemos nossa visita no começo de novembro, a uva já havia sido coletada e as folhas das videiras começavam a mostrar cores vermelhas e amarelas, típicas da estação do ano. Um visual muito bonito.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic
Vino i cava, Catalunya Bus Turistic
Vino i cava, Catalunya Bus Turistic
Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Durante esta parte da visita é explicado, de forma resumida, o proceso de elaboração dos vinhos da Jean Leon.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Ainda dentro da bodega, é feita uma degustação de um vinho que tinha finalizado o proceso de fermentação, mas que ainda não tinha sido engarrafado e nem passado pelo processo de envelhecimento dentro da garrafa.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A terceira parte da visita consiste na degustação de um vinho pronto para a venda, que é acompanhada por vários tipos de salgadinhos.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

É o momento de comparar as características do vinho degustado na bodega, ainda não envelhecido, com o saído diretamente da garrafa. Um interessante experimento.

Depois de passar pela loja da bodega, onde é possível comprar vinhos e outros produtos, retornamos ao ônibus para uma viagem de 20 minutos até a seguinte parada, a Bodegas Torres. Durante a viagem, é exibido um vídeo sobre as Bodegas Torres.

Bodegas Torres

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Depois de visitar uma pequena vinícola, chega a hora de conhecer uma das maiores produtoras de vinhos da Espanha, Bodegas Torres, que também está presente no Chile e nos Estados Unidos. Além de vinhos, Bodegas Torres é conhecida pelos seus conhaques.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A vinícola é muito grande e uma maquete no centro de visitantes permite ter uma ideia da quantidade de prédios que formam as instalações da Torres.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A visita está divida em três partes distintas. Logo depois de chegar à vinícola, os visitantes sobem em um trenzinho que realiza um extenso percurso pelas instalações.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic
Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

O percurso atravessa vários vinhedos. O trenzinho é fechado e, o que garante que em dia de chuva, como foi nosso caso, você não vai se molhar.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A viagem no trenzinho passa também por partes das instalações internas da Torres,  incluindo várias apresentações multimídia em uma parte do percurso.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A segunda parte da visita (a mais deliciosa!) está composta por uma harmonização de vinhos e queijos.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A harmonização é conduzida por um guia da Torres e consiste na degustação de três vinhos diferentes (um branco e dois tintos) e três queijos diferentes. São sugeridas combinações ideais, mas cada um escolhe suas combinações preferidas!

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic
Vino i cava, Catalunya Bus Turistic
Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A parte final da visita inclui um percurso pelo museu familiar, com muitos objetos relacionados com a elaboração do vinho, mas também com muitas obras de arte, e uma visita final à loja da Torres.

São quinze minutos de ônibus até a última parada do dia, a Freixenet.

Cavas Freixenet

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A última visita do dia é a Freixenet, a maior produtora mundial de cavas.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A primeira parte da visita é feita a pé.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Acompanhados por uma guia, descemos nas bodegas (as “cavas”) para descobrir como é elaborado o espumante catalão.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic
Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

O tempo todo estamos rodeados por milhares de garrafas de cava.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic
Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Durante o percurso é feito um apanhado histórico dos métodos tradicionais de elaboração do cava até chegar aos métodos e equipamentos utilizados atualmente.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A segunda parte da visita é muito rápida e consiste em um percurso feito em um trem elétrico. Durante a viagem podem ser vistas quantidades inacreditáveis de garrafas aguardando pelo momento de sair ao mercado.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

Descendo do trem, o percurso continua a pé pela planta de engarrafamento da Freixenet.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A visita à vinícola finaliza com a degustação de dois cavas.

Vino i cava, Catalunya Bus Turistic

A degustação é acompanhada por embutidos e queijos da Catalunha e termina com um prato de carquinyolis, um delicioso doce típico da Catalunha. Tempo para dar uma passada pela lojinha e voltar para o ônibus.

de Freixenet a Barcelona

A volta de Figueres para Barcelona leva uma hora. Tempo para descansar, dar uma olhadinha nas fotos tiradas e lembrar dos lindos lugares visitados durante o dia. O ônibus deixou a gente de volta na Plaça de Catalunya por volta das 16:30h.

O que inclui e o que não inclui o passeio

O preço do passeio inclui:

  • transporte até todos os pontos visitados na excursão.
  • acompanhamento de guia.
  • folheto informativo.
  • visita às três vinícolas, incluindo as degustações de vinhos mencionadas no texto acima.

O passeio não inclui:

  • refeições e bebidas fora das oferecidas nas degustações, que são por sua conta.
  • audioguia, que pode ser comprado separadamente.

como comprar o passeio

O passeio Vino y cava deve ser comprado antecipadamente. Pode ser comprado diretamente em Barcelona, nos escritórios de turismo da cidade.

passeio com desconto

O passeio também pode ser comprado online na Visit Barcelona Tickets, que é a loja oficial de turismo de Barcelona, parceira do passaporte BCN. Compre seu passeio online, com um desconto exclusivo, aqui.

a opinião do passaporte BCN

A região do Penedès e de Sant Sadurní d’Anoia é uma parte muito bonita da Catalunha e uma ótima escolha para fazer um bate-volta que tem tudo a ver com a Catalunha. Sempre buscamos fazer tudo por conta própria, e no texto Sant Sadurní d’Anoia demos muitas dicas de como visitar a região para quem não quer fazer passeios organizados.

Apesar de gostarmos de viajar por conta própria, achamos bastante interessante a experiência do passeio Vino y Cava. É ideal para quem gosta de passeios organizados, onde você é levado até todos os lugares sem ter que esquentar a cabeça com transporte, horários e demais ou para quem tem pouco tempo. Os guias são muito atentos e preparados, e estão sempre de prontidão para atender as solicitações dos turistas. Os roteiros estão muito bem organizados, com um cálculo de tempos otimizado para aproveitar ao máximo cada destino.

Mesmo para quem gosta de fazer as coisas por conta, o passeio Vino y Cava oferece a possibilidade de visitar três vinícolas em um único dia. É uma visita que não pode ser feita utilizando o transporte público e que seria bastante complicada com carro alugado (degustação de vinho e direção não combinam muito bem).

—————————————————–
Os autores do passaporte BCN escolheram escrever sobre o passeio Vino y Cava por saber que certamente seria um assunto de interesse para nossos leitores. Era uma extensão necessária da informação já publicada no guia sobre a região de Sant Sadurní d’Anoia. Para realizar o passeio contamos com o apoio do Catalunya Bus Turístic. As opiniões, comentários, avaliações e fotografias publicadas aqui refletem nossa experiência pessoal e nosso compromisso com nossos leitores.

[pinit count="horizontal"]

CIC Fassina, o Centro de Interpretação do Cava

CIC Fassina, Sant Sadurní d'Anoia

Na apresentação que fizemos do bate-volta até Sant Sarduní d’Anoia já falamos como a região é o centro mais importante de produção do cava, o vinho espumante tradicional da Catalunha. E uma das melhores formas de nos introduzirmos no mundo do cava é aproveitar o excelente CIC Fassina, o Centro de Interpretação do Cava.

CIC Fassina, Sant Sadurní d'Anoia

O centro ocupa o espaço de uma antiga vinícola construída em 1814, espaço que foi completado com um moderno prédio onde além do centro de interpretação encontra-se o escritório de turismo de Sant Sadurní.

CIC Fassina, Sant Sadurní d'Anoia

Com uma exposição que ocupa 1.200 m2, o visitante do centro realiza um percurso pelo mundo do cava, começando pela história, continuado pela elaboração e conhecendo tradições muito interessantes.

CIC Fassina, Sant Sadurní d'Anoia

Os espaços da antiga bodega servem de excelente cenário para a apresentação de várias projeções multimídia, incluindo uma de realidade aumentada em 3D.

CIC Fassina, Sant Sadurní d'Anoia

Um dos destaques mais fascinantes do centro é a filoxera, que na segunda metade do século XIX foi uma praga devastadora, arrasando com as videiras da região de Sant Sadurní d’Anoia (e de muitas outras regiões do mundo) e mudando a face do cultivo da uva para sempre. Olha a Cecília na foto segurando o inseto! Pode ficar sossegado, é uma recriação virtual!

CIC Fassina, Sant Sadurní d'Anoia

Pode até parecer estranho, mas a filoxera é o elemento central das festas e da tradição de Sant Sadurní, que comemora o triunfo sobre a praga como uma conquista histórica. Você vai ver as fantasias e alegorias usadas nas festas da cidade, que lembram muito um desfile de carnaval, onde o tema central do enredo seria a luta contra a filoxera, uma verdadeira história de superação!

CIC Fassina, Sant Sadurní d'Anoia

A visita ao CIC é guiada (veja os detalhes a seguir) e finaliza com a degustação de cava de um produtor local e também de embutidos típicos da região. A visita tem uma duração aproximada de 1 hora e 15 minutos.

CIC Fassina, Sant Sadurní d'Anoia

Detalhes da visita

A visita ao CIC é guiada e realizada em horários pré-definidos. Na página do CIC Fassina podem ser consultados os horários, preços e idiomas da visita.

Reserva prévia

Apesar de não ser estritamente necessário, é altamente recomendável reservar antecipadamente sua visita tanto ao CIC Fassina como às demais atrações turísticas de Sant Sadurni d’Anoia.

A reserva pode ser feita mesmo que seja um dia antes da visita. Às vezes, podem receber visitas de grandes grupos que obrigam a mudar os horários ou as condições de visitação, e por isso é sempre bom reservar com antecedência. Tente não chegar no CIC Fassina sem reserva.

Visitas combinadas

A secretaria de turismo de Sant Sadurní d’Anoia oferece visitas combinadas, com valor reduzido, que permitem visitar o CIC Fassina e uma segunda atração turística em Sant Sadurní d’Anoia.

Entre as atrações que apresentamos em nosso bate-volta até Sant Sadurní d’Anoia, a visita combinada pode incluir a Codorníu ou o Espacio Chocolate Simón Coll. O ingresso pode ser comprado no CIC Fassina ou em qualquer uma das outras duas atrações.

Se você já tiver comprado e pago por seu ingresso para visitar o CIC Fassina, ainda vai poder optar pela compra do ingresso combinado com desconto, na hora que você chegar no próprio CIC Fassina.

Também é possível comprar ingressos para visitar o CIC Fassina e outros lugares de interesse na cidade, incluindo Freixenet, as Cavas Pere Ventura e as Cavas Agustí Torelló Mata.

Como chegar no CIC Fassina

O CIC Fassina está no Carrer del Hospital, 23, no centro de Sant Sadurní d’Anoia. Veja a localização exata no mapa aqui. Lembrando que o CIC Fassina encontra-se no mesmo prédio que o escritório de turismo de Sant Sadurní, um ótimo lugar para obter mais informações sobre os atrativos turísticos da cidade.

Há duas formas diferentes de chegar até o CIC Fassina saindo de Barcelona.

  • De ônibus até Sant Sadurní d’Anoia. O ônibus Barcelona-Sant Sadurní é operado pela empresa Hillsa. A passagem de ida tem um preço de €4 e a viagem demora 45 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pesquise na janela “Línia Barcelona”, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). O ponto de saída do ônibus é a rua Urgell, 229-231 (veja a localização exata no mapa aqui). É muito fácil identificar o ponto de ônibus, fica bem do lado de uma oficina e concessionária de carros. A estação de metrô mais próxima é Hospital Clínic na linha 5 (azul). Em Sant Sadurní, o ônibus para no centro da cidade. Pergunte para o motorista como chegar no CIC Fassina.
  • De trem até Sant Sadurní d’Anoia. O trem Barcelona-Sant Sadurní é operado pela RENFE. A passagem de ida tem um preço de €4,10 e a viagem demora 42 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pode escolher como estação de partida tanto a Plaça Catalunya como Sants Estació, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). A linha que vai até Sant Sadurní é a R4. Na ida, você precisa embarcar no sentido Sant Vicenç de Calders e descer na estação Sant Sadurní d’Anoia. Em Sant Sadurní, a estação de trem fica do lado da vinícola Freixenet. Saia da estação do trem no sentido da cidade e não hesite em perguntar para saber como chegar no CIC Fassina.

Como voltar do CIC Fassina

O CIC Fassina está no Carrer del Hospital, 23, no centro de Sant Sadurní d’Anoia. Veja a localização exata no mapa aqui.

Há duas formas diferentes de voltar do CIC Fassina a Barcelona (se você não for visitar nenhuma outra atração turística em Sant Sadurní).

  • De ônibus. Caminhe do CIC Fassina até o ponto de partida do ônibus de volta para Barcelona. Peça orientações no CIC Fassina para não errar o caminho. O ônibus Sant Sadurní-Barcelona é operado pela empresa Hillsa. A passagem de ida tem um preço de €4 e a viagem demora 45 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pesquise na janela “Línia Barcelona”, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar).
  • De trem. Caminhe do CIC Fassina até a estação de trem.
    O trem Sant Sadurní-Barcelona é operado pela RENFE. A passagem de ida tem um preço de €4,10 e a viagem demora 42 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pode escolher como estação de destino tanto a Plaça Catalunya como Sants Estació, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). A linha que vai até Barcelona é a R4. Na volta, você precisa embarcar no sentido Manresa e descer na estação da sua escolha em Barcelona.

A opinião do passaporte BCN

O CIC Fassina oferece uma excelente oportunidade de conhecer mais sobre a cultura e a tradição do cava, um produto muito típico da Catalunha, em Sant Sadurní d’Anoia e na região de Penedès. É uma visita que complementa perfeitamente outras visitas na cidade de Sant Sadurni d’Anoia.

—————————————————–
Os autores do passaporte BCN escolheram escrever sobre o CIC Fassina por saber que certamente seria um assunto de interesse para nossos leitores. Nossa visita ao centro contou com o apoio do Patronat de Turisme de Sant Sadurní. As opiniões, comentários, avaliações e fotografias publicadas aqui refletem nossa experiência pessoal e nosso compromisso com nossos leitores.

[pinit count="horizontal"]

visita à Codorníu, o berço do cava

Codorníu

A empresa familiar Codorníu é um dos maiores produtores de cava do mundo. O cava é o vinho espumante produzido principalmente na Catalunha, similar ao champanhe francês. Codorníu é também a vinícola catalã que viu o cava nascer.

Codorníu

A visita à Codorníu tem um duplo interesse: por um lado, conhecer a história de um símbolo da Catalunha, o cava; por outro lado, se surpreender com a espetacular arquitetura modernista das suas instalações, obra do famoso arquiteto modernista Josep Puig i Cadafalch e declarada Patrimonio Histórico Artístico. Um passeio perfeito para quem sem interessa pelo enoturismo ou para quem quer conhecer um lugar muito bonito.

Codorníu

Nada mais chegar à recepção da Codorníu, o visitante já fica impressionado pela maravilhosa sala Puig, a “catedral del cava”.

Codorníu
Codorníu
Codorníu

É um lugar que convida a sentar e relaxar, contemplando as curvas e os detalhes da obra de Puig i Cadafalch. Mas agora mesmo não há tempo para o descanso, pois a visita começa logo mais!

Codorníu

O primeiro ponto da visita é um curto e bonito audiovisual que serve para apresentar a história da Codorníu e do cava, além de contextualizar a visita que vai ser feita a seguir. Aliás, vamos falar um pouco dos mais de 450 anos de história da Codorníu. As orígens da empresa estão em uma família que já produzia vinhos no século XVI (a Codorníu é a empresa familiar mais antiga da Espanha e uma das mais antigas do mundo).

Codorníu

Em 1659, Anna Codorníu casou com Miquel Raventós e, a partir da união, a família Raventós passou a ser proprietária da Codorníu. Em 1872, Josep Raventós Fatjó, herdeiro de uma longa tradição familiar de cultivo de videiras para produção de vinho, consiguiu elaborar a primeira garrafa de cava.

Codorníu

O filho de Josep, Manuel Raventós, vislumbrou um novo rumo para a empresa e decidiu focar a produção exclusivamente  nos cavas. Viajou para a França e aprofundou seus conhecimentos sobre o champanhe francês. Em 1895, contratou o arquiteto modernista Josep Puig i Cadafalch para que fosse responsável pela ampliação da bodega. Você provavelmente já teve a chance de contemplar alguma obra do arquiteto na cidade de Barcelona. Ele é o autor, entre outras construções, da Casa Amatller, a Casa Macaya, a Casa Martí, Els Quatre Gats, a Casa Terrades (Casa de les Punxes) ou a Fábrica Casaramona (onde encontra-se o CaixaForum).

Hoje Codorníu é uma das grandes marcas de cava e a pionera na elaboração do espumante.

Codorníu

Finalizado o vídeo de apresentação, os visitantes sobem em um trem elétrico que faz um percurso pela parte externa das bodegas, contemplando as diversas construções modernistas. O passeio de trem é acompanhado por una narração.

Codorníu

Depois do percurso externo com o trem, a visita pelo interior das bodegas. O primeiro ponto no nínel térreo, no “Celler Gran”, é um grande espaço convertido em museu, onde é possível aprender mais sobre a história e a elaboração do cava a partir de vídeos, uma mesa olfativa e objetos antigos. Uma maquete interativa da bodega permite entender melhor sua estrutura e proposta de construção.

Codorníu

A “mesa dos aromas” é um dos recursos museísticos mais interessantes, onde o visitante pode aprender mais sobre as variedades de uvas usadas para a elaboração do cava e perceber qual é o aroma que cada uma das uvas aporta ao cava.

O método tradicional de elaboração do cava usa três variedades de uva da região de Penedès: macabeo (que contribui um sabor doce e perfume), xarel·lo (finura, frescor e aroma) e parellada (corpo e estrutura). Mais tarde, o cava passou a ser elaborado utilizando também variedades de uva francesa como a pinot noir e a chardonnay.

Codorníu

A visita continua agora nas caves subterrâneas. Hora de descer escadas e colocar um agasalho!

Codorníu
Codorníu

Nas caves é possível conhecer a maquinaria utilizada tradicionalmente para a elaboração do cava.

Codorníu
Codorníu

Uma parte do percurso pelas gigantescas caves é feito em um trem elétrico, que leva os visitantes por uma sucessão interminável de corredores onde milhares de garrafas aguardam o momento certo para serem comercializadas.

Codorníu
Codorníu

No corredor final, percorrido a pé, é apresentada uma sequência histórica de cavas da Codorníu.

Codorníu
Codorníu

Retornando à Sala Puig, a visita termina com a degustação de dois cavas premium.

Codorníu
Codorníu

Opções de visita à Codorníu

Codorníu oferece várias opções de visita. Podem ser consultadas no seu site, agrupadas nos conceitos Visita, Actividades Enogastronómicas e Actividades Enoturísticas.

No contexto de um bate-volta de meio dia ou de um dia completo em Sant Sadurní d’Anoia, vamos destacar dois tipos de visita:

  • a Visita Cordorníu. Inclui o percurso pelas bodegas descrito acima, com desgustação de dois cavas premium. Os detalhes da visita, incluindo custo, idiomas e horários, podem ser conferidos aqui. A visita tem uma duração aproximada de 1 hora e 30 minutos.
  • o Desayuno Mediterráneo (café da manhã mediterrâneo). Uma ótima forma de começar o dia. Além da visita pelas bodegas descrita acima, o Desayuno Mediterrâneo inclui um café da manhã com produtos típicos da dieta local: pão com tomate, embutidos e cava. Os detalhes do Desayuno Mediterráneo, incluindo custo, idiomas e horários, podem ser conferidos aqui.

Para quem tem interesse especial no enoturismo, pode consultar as demais opções de visitação à Codorníu.

Visitas combinadas

Codorníu oferece visitas combinadas, com valor reduzido, que permitem visitar as bodegas Codorníu e uma segunda atração turística em Sant Sadurní d’Anoia.

A visita combinada pode incluir o CIC Fassina (Centro de Interpretação do Cava) ou o Espacio Chocolate Simón Coll. O ingresso pode ser comprado na Codorníu ou em qualquer uma das outras duas atrações.

Se você já tiver comprado e pago por seu ingresso para visitar a Codorníu, ainda vai poder optar pela compra do ingresso combinado com desconto, na hora que você chegar na própria Codorníu.

Reserva prévia

Apesar de não ser estritamente necessário, é altamente recomendável reservar antecipadamente sua visita tanto à Codorníu, como às restantes atrações turísticas de Sant Sadurni d’Anoia.

A reserva pode ser feita mesmo que seja um dia antes da visita. Às vezes, podem receber visitas de grandes grupos que obrigam a mudar os horários ou as condições de visitação, e por isso é sempre bom reservar com antecedência. Não chegue na Codorníu sem reserva.

Como chegar à Codorníu

Codorníu está nos arrededores de Sant Sadurní d’Anoia. Veja a localização exata no mapa aqui.

Há três formas diferentes de chegar até a Codorníu saindo de Barcelona.

  • De ônibus direto. Codorníu tem um serviço direto de ônibus que parte de Barcelona e chega até as bodegas. O ônibus é operado pela empresa Hillsa. A passagem de ida tem um preço de €4 e a viagem demora 45 minutos. Esta seria a opção ideal, mas você precisa prestar atenção para que o horário da sua chegada bata com o horário da visita no idioma da sua escolha. O ônibus direto é uma ótima opção se você quer fazer o “Desayuno Mediterráneo”.
    O ônibus parte de Barcelona às 9h e chega na Codorníu às 9:45h. O ponto de saída do ônibus é a rua Urgell, 229-231 (veja a localização exata no mapa aqui). É muito fácil identificar o ponto de ônibus, fica bem do lado de uma oficina e concessionária de carros. O ônibus da Codorníu costuma ficar estacionado na parte final da fila de ônibus intermunicipais. Procure pela placa “Codorníu” na frente do ônibus e não atrasse, o ônibus parte na hora. A estação de metrô mais próxima é Hospital Clínic na linha 5 (azul). Este serviço direto não funciona durante os finais de semana.
  • De ônibus até Sant Sadurní d’Anoia e a pé até a Codorníu (um passeio de 15 minutos). Dependendo do horário da sua visita à Codorníu, pode ser mais interessante pegar um ônibus até Sant Sadurní d’Anoia e caminhar até a Codorníu. Dependendo do horário da visita à Codorníu, pode até sobrar tempo para visitar antes alguma das outras atrações da cidade, especialmente o CIC Fassina (Centro de Interpretação do Cava).
    O ônibus Barcelona-Sant Sadurní é operado pela empresa Hillsa. A passagem de ida tem um preço de €4 e a viagem demora 45 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pesquise na janela “Línia Barcelona”, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). O ponto de saída do ônibus é a rua Urgell, 229-231 (veja a localização exata no mapa aqui). É muito fácil identificar o ponto de ônibus, fica bem do lado de uma oficina e concessionária de carros. A estação de metrô mais próxima é Hospital Clínic na  linha 5 (azul). Em Sant Sadurní, o ônibus para no centro da cidade. Pergunte para o motorista como chegar na Codorníu ou no seu destino dentro da cidade.
  • De trem até Sant Sadurní d’Anoia e a pé até a Codorníu (um passeio de 25 minutos). Dependendo do horário da visita à Codorníu, pode até sobrar tempo para visitar antes alguma das outras atrações da cidade, especialmente o CIC Fassina (Centro de Interpretação do Cava).
    O trem Barcelona-Sant Sadurní é operado pela RENFE. A passagem de ida tem um preço de €4,10 e a viagem demora 42 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pode escolher como estação de partida tanto a Plaça Catalunya como Sants Estació, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). A linha que vai até Sant Sadurní é a R4. Na ida, você precisa embarcar no sentido Sant Vicenç de Calders e descer na estação Sant Sadurní d’Anoia. Em Sant Sadurní, a estação de trem fica do lado da vinícola Freixenet. Saia da estação do trem no sentido da cidade e não hesite em perguntar para saber como chegar na Codorníu.

Como voltar da Codorníu para Barcelona

Codorníu está nos arrededores de Sant Sadurní d’Anoia. Veia a localização exata no mapa aqui.

Há duas formas diferentes de voltar da Codorníu a Barcelona (se você não for visitar nenhuma outra atração turística em Sant Sadurní).

  • De ônibus. Caminhe da Codorníu até o centro da cidade para tomar o ônibus de volta para Barcelona. Peça orientações na recepção da Codorníu para não errar o caminho. O ônibus Sant Sadurní-Barcelona é operado pela empresa Hillsa. A passagem de ida tem um preço de €4 e a viagem demora 45 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pesquise na janela “Línia Barcelona”, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar).
  • De trem. Caminhe da Codorníu até o centro da cidade e do centro até a estação de trem.
    O trem Sant Sadurní-Barcelona é operado pela RENFE. A passagem de ida tem um preço de €4,10 e a viagem demora 42 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pode escolher como estação de destino tanto a Plaça Catalunya como Sants Estació, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). A linha que vai até Barcelona é a R4. Na volta, você precisa embarcar no sentido Manresa e descer na estação da sua escolha em Barcelona.

A opinião do passaporte BCN

Recomendamos muito a visita à Codorníu, que é tão bonita quanto interessante. Você vai conhecer um lugar muito lindo e ainda saber tudo sobre um produto bem típico da Catalunha, o cava.

Um bate-volta perfeito que pode ser complementado com outras visitas na cidade de Sant Sadurni d’Anoia.

—————————————————–
Os autores do passaporte BCN escolheram escrever sobre a Codorníu por saber que certamente seria um assunto de interesse para nossos leitores. Nossa visita à bodega contou com o apoio da Codorníu. As opiniões, comentários, avaliações e fotografias publicadas aqui refletem nossa experiência pessoal e nosso compromisso com nossos leitores.

[pinit count="horizontal"]

Cavas Gramona

Cavas Gramona, Sant Sadurní d'Anoia

Entre as diferentes propostas enoturísticas de Sant Sarduní d’Anoia, há uma de especial interesse para gourmets e enoturistas: a visita às Cavas Gramona.

Cavas Gramona, Sant Sadurní d'Anoia

Gramona é uma empresa familiar fundada em 1881 que começou a produzir cavas, o vino espumante típico da Catalunha, em 1921. Originariamente, as caves da Gramona estavam localizadas no centro da cidadezinha, e de fato a visita à Gramona é feita no centro da cidade, no antigo Celler Batlle. Em 2001, as necessidades de produção obrigaram a empresa a construir uma nova e moderna cave no campo, o Nuevo Celler Batlle.

Cavas Gramona, Sant Sadurní d'Anoia

O foco exclusivo da Gramona são os cavas de altíssima qualidade, elaborados com longos períodos de maturação e métodos tradicionais de produção. Enquanto a maioria das grandes produtoras de cava comercializa seus vinhos depois de 9 meses, a Gramona aguarda durante anos (até décadas!) para obter cavas que já receberam premiações e indicações de especialistas do mundo todo. Hoje poderíamos falar dos cavas da Gramona como ótimos representantes da aristocracia do cava.

Cavas Gramona, Sant Sadurní d'Anoia

Existem diferentes tipos de visita à Gramona. A visita básica leva o enoturista a percorrer a cave histórica, a que fica no centro de Sant Sadurní. Na companhia de um especialista, o visitante descobre como são elaborados os cavas, percorrendo as caves no subsolo e presenciando ao vivo algum dos processos artesanais de elaboração desses vinhos espumantes.

Cavas Gramona, Sant Sadurní d'Anoia

A visita inclui a degustação de dois ou três cavas premium de uma empresa que só elabora cavas de alta qualidade.

Cavas Gramona, Sant Sadurní d'Anoia
Cavas Gramona, Sant Sadurní d'Anoia

Detalhes da visita

A visita às Cavas Gramona é guiada e realizada em horários pré-definidos. Na página das Cavas Gramona podem ser consultados os horários das visitas. Outras informações podem ser obtidas, entrando em contato através do email visita@gramona.com

Reserva prévia

Para visitar as Cavas Gramona é necessário reservar antecipadamente sua visita, entrando em contato através do email visita@gramona.com

Como chegar nas Cavas Gramona

Cavas Gramona está no Carrer Indústria, 36, no centro de Sant Sadurní d’Anoia. Veja a localização exata no mapa aqui.

Há duas formas diferentes de chegar até as Cavas Gramona saindo de Barcelona.

  • De ônibus até Sant Sadurní d’Anoia. O ônibus Barcelona-Sant Sadurní é operado pela empresa Hillsa. A passagem de ida tem um preço de €4 e a viagem demora 45 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pesquise na janela “Línia Barcelona”, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). O ponto de saída do ônibus é a rua Urgell, 229-231 (veja a localização exata no mapa aqui). É muito fácil identificar o ponto de ônibus, fica bem do lado de uma oficina e concessionária de carros. A estação de metrô mais próxima é Hospital Clínic na linha 5 (azul). Em Sant Sadurní, o ônibus para no centro da cidade. Pergunte para o motorista como chegar nas Cavas Gramona.
  • De trem até Sant Sadurní d’Anoia. O trem Barcelona-Sant Sadurní é operado pela RENFE. A passagem de ida tem um preço de €4,10 e a viagem demora 42 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pode escolher como estação de partida tanto a Plaça Catalunya como Sants Estació, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). A linha que vai até Sant Sadurní é a R4. Na ida, você precisa embarcar no sentido Sant Vicenç de Calders e descer na estação Sant Sadurní d’Anoia. Em Sant Sadurní, a estação de trem fica do lado da vinícola Freixenet. Saia da estação do trem no sentido da cidade e não hesite em perguntar para saber como chegar nas Cavas Gramona.

Como voltar das Cavas Gramona

Cavas Gramona está no Carrer Indústria, 36, no centro de Sant Sadurní d’Anoia. Veja a localização exata no mapa aqui.

Há duas formas diferentes de voltar das Cavas Gramona a Barcelona (se você não for visitar nenhuma outra atração turística em Sant Sadurní).

  • De ônibus. Caminhe das Cavas Gramona até o ponto de partida do ônibus de volta para Barcelona. Peça orientações nas Cavas Gramona para não errar o caminho. O ônibus Sant Sadurní-Barcelona é operado pela empresa Hillsa. A passagem de ida tem um preço de €4 e a viagem demora 45 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pesquise na janela “Línia Barcelona”, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar).
  • De trem. Caminhe das Cavas Gramona até a estação de trem.
    O trem Sant Sadurní-Barcelona é operado pela RENFE. A passagem de ida tem um preço de €4,10 e a viagem demora 42 minutos. Pode conferir horários e preços atualizados aqui (pode escolher como estação de destino tanto a Plaça Catalunya como Sants Estació, se tiver algum problema para achar os horários, pergunte para a gente, tentaremos ajudar). A linha que vai até Barcelona é a R4. Na volta, você precisa embarcar no sentido Manresa e descer na estação da sua escolha em Barcelona.

A opinião do passaporte BCN

A visita às Cavas Gramona oferece uma excelente oportunidade de conhecer como são elaborados os cavas premium, com longo período de maturação e métodos artesanias de produção. É uma visita que seguramente interessará àqueles que apreciam um produto mais exclusivo e têm especial interesse no enoturismo. É uma visita que complementa perfeitamente outras visitas na cidade de Sant Sarduní d’Anoia.

—————————————————–
Os autores do passaporte BCN escolheram escrever sobre as Cavas Gramona por saber que certamente seria um assunto de interesse para nossos leitores. Nossa visita ao centro contou com o apoio das Cavas Gramona. As opiniões, comentários, avaliações e fotografias publicadas aqui refletem nossa experiência pessoal e nosso compromisso com nossos leitores.

[pinit count="horizontal"]

Freixenet: visita à maior produtora de cavas do mundo

freixenet

O passaporte BCN recebe hoje, com muito orgulho, uma colaboração da Débora e o Fernando, autores do blog Brincando de Chef. Eles dedicaram uma manhã, em sua visita mais recente a Barcelona, para conhecer a Freixenet, uma das produtoras de cava (vinho espumante produzido principalmente na Catalunha) mais conhecida do mundo.

Com fotografias e textos da Débora e do Fernando, confira se, na abalizada opinião dos dois, esse é um passeio que vale a pena fazer. Agradecemos muito a gentil colaboração.

Veja também o extenso texto que preparamos sobre Sant Sadurní d’Anoia e a região do cava, incluindo uma visita a empresa Codorníu. Pode ser uma ótima alternativa se você estiver procurando um delicioso bate-volta.

Veja também o lindo passeio de ônibus que visita três vinícolas da região do Penedès, incluindo a Freixenet.

Visita à Freixenet

freixenet

A maior parte da produção de cava, o famoso espumante espanhol, ocorre na região de Penedès, bem perto de Barcelona. Quem está na cidade pode destinar algumas horas para se dirigir a uma das bodegas e realizar visita guiada com direito a degustação.

A mais conhecida é a Freixenet, que cobra 7,50€ por visitante e exige agendamento prévio pelo site (clique aqui). Há sempre um horário pela manhã e outro à tarde, com pequenas variações dependendo da época do ano.

freixenet

Uma grande vantagem da Freixenet é a facilidade de acesso pelo transporte público. Basta ir até as estações Plaça Catalunya ou Barcelona Sants, procurar pela línea 4 de Cercanías RENFE e embarcar no sentido Vilafranca del Penedés / Sant Vicenç de Calders. Daí é só desembarcar na estação Sant Sadurni d’Anoia. Da plataforma já se avista a sede da Freixenet, situada a poucos passos da saída da estação, do lado esquerdo. O trajeto de trem dura uns 45 minutos, mas a dica é chegar à estação de partida com antecedência mínima de 65 minutos em relação ao horário agendado na vinícola. É que da mesma plataforma saem trens para outros destinos, e talvez seja preciso esperar alguns minutos – sempre atento aos monitores de informação – até o embarque no sentido correto.

Uma opção disponível desde 2012 é o Freixetren, um bilhete combinado que, pelo preço de 11€, inclui passagem de ida e volta e também a visita guiada. Está à venda em qualquer estação do Renfe Cercanías de Catalunya.

Chegando à Freixenet, a visita começa com a exibição de um vídeo sobre a história da empresa, desde o início das atividades até o crescimento dos negócios da companhia pelo mundo. Passando, claro, por imagens de anúncios clássicos da marca.

freixenet

Na sequência, o guia reúne os visitantes e inicia um percurso até a cave, repleta de barris e garrafas.

freixenet

No caminho, oportunidade para aprender o básico sobre o processo de elaboração e o armazenamento da bebida.

freixenet

É a hora de entender, por exemplo, a diferença do espumante brut para o demi sec.

freixenet

Mas não espere que grandes detalhes, além desse, sejam transmitidos espontaneamente: se quiser realmente aprofundar seus conhecimentos, deixe a timidez de lado e faça perguntas.

freixenet

Em um determinado momento, todos sobem em um carrinho aberto nas laterais. O condutor trava bem as portas e dá a partida. Alguns visitantes esboçam o sorriso, imaginando que chegara a hora de, literalmente, sair a campo para conhecer o cultivo das uvas. Nada disso! O veículo circula apenas por dentro do depósito da Freixenet, onde a vista se resume a pallets, caixas de espumante e funcionários em serviço.

freixenet

Estaciona do outro lado do galpão, em frente ao elevador que dá acesso ao bar preparado para a esperada degustação. Cada visitante é servido de uma taça de cava e pode petiscar um biscoitinho simples como tira-gosto. Cardápios estão disponíveis pelas mesas para quem se animar a desembolsar valores extras por alguma versão mais premium da bebida, ou algo diferente para comer.

freixenet

O caminho da saída passa, obrigatoriamente, pela loja que disponibiliza o portfólio completo da bodega, incluindo acessórios como taças e balde de gelo. Dali, com ou sem sacolas de compra, é só caminhar de volta para a estação. Quem for à tarde deve apertar o passo para não perder o trem para Barcelona, cujo horário costuma ser sincronizado com o tempo das visitas – em torno de 1 hora.

Vale a pena?

Para quem é fã de cava e/ou da marca Freixenet, com toda certeza! A mesma coisa vale para quem tem tempo de sobra em Barcelona ou é iniciante em visitas a vinícolas.

Já aos que estão com tempo cronometrado na terra de Gaudí, ou já se perderam por vinhedos mundo a fora, sinceramente não é algo essencial. Caso faça parte desse grupo, não tenha nenhum constrangimento em deixar a visita para uma próxima viagem a Barcelona.

[pinit count="horizontal"]