Torre Bellesguard

Torre Bellesguard

A Torre Bellesguard (também conhecida como Casa Bellesguard ou Casa Figueras) é uma obra do gênio modernista Antoni Gaudí. Encontra-se no distrito de Sarrià-Sant Gervasi, ao pé da serra de Collserola e com lindas vistas de Barcelona, fazendo jus ao nome “bellesguard”, que em catalão significa “belo mirante”.

Torre Bellesguard

Até o mês de setembro de 2013, a torre estava fechada à visitação. A partir de então, já é possível conhecer outra obra maravilhosa de Gaudí, situada na cidade de Barcelona. Uma obra que reúne chaves para a compreensão do trabalho de um arquiteto perfecionista, humanista, romântico e completo.

Um pouco de história

Torre Bellesguard

O local onde está localizada a Torre Bellesguard ocupa uma posição estratégica, motivo pelo qual foi escolhido pelos reis da Coroa de Aragão para a construção de um castelo. No ano de 1408, Martin I O Humano, rei de Aragão e Conde de Barcelona, mandou construir um castelo em Bellesguard, onde morou até sua morte em 1410. O castelo foi cenário de importantes eventos históricos. O rei Martin não nomeou sucessores e sua dinastia se extinguiu com seu falecimento.

Torre Bellesguard

Com a morte do rei, o castelo foi herdado pela sua jovem esposa, Margarita de Prade. Ao longo dos séculos, o castelo foi vendido inúmeras vezes até ficar abandonado e em ruínas, com seus muros cobertos por vegetação.

Torre Bellesguard

Em 1900 a terra foi comprada por Maria Sagués, viúva de Jaume Figueras, que encomendou, ao jovem e promissor arquiteto Antoni Gaudí, a construção de sua casa de verão em Bellesguard. Figueras era um amigo próximo de Gaudí e compartilhava com ele sentimentos catalanistas.

Gaudí ficou apaixonado pelo lugar e pela história nele contida. Ali acabou construindo uma obra que é uma homenagem à Catalunha que tanto amava.

A dona da Torre Bellesguard não tinha dinheiro para manter o prédio, que logo foi vendido. A Torre voltou a mudar de donos várias vezes. Durante a Guerra Civil espanhola abrigou um orfanato, período no qual parte da mobília desenhada por Gaudí foi queimada para servir de aquecimento para os orfãos. Em 1945, o doutor Luis Guilera Molas comprou a propriedade e instalou ai uma clínica ginecológica e obstétrica. Com a morte do médico, seu filho mais velho, também médico, herdou a casa e decidiu mudar a clínica para um novo endereço. A Torre Bellesguard voltou a ser uma residência familiar, como previsto no projeto original de Gaudí. Vários descendentes do médico ainda moram na Torre.

O trabalho de Gaudí em Bellesguard

Torre Bellesguard

Gaudí trabalhou na obra da Torre Bellesguard entre os anos de 1900 e 1909. No periodo também estava trabalhando no Col.legi de les Teresianes e na Cripta de la Colonia Güell. Nas três obras testou soluções arquitetônicas que mais tarde seriam usadas na Sagrada Família.

Torre Bellesguard

Gaudí não se restringiu à construção da torre. Também trabalhou na reconstrução das ruínas da muralha do castelo, que estão ao redor dos jardins. Construiu um aqueduto, que pode ser visto na parte externa, atravessando a rua bem na frente da entrada da Torre Bellesguard. Essa estrutura resultará familiar para quem já tiver visitado o Park Güell.

Torre Bellesguard

Gaudí levantou a Torre e também desenhou os jardins ao redor.

Torre Bellesguard

A história que há por traz de Bellesguard é fundamental para entender o trabalho de Gaudí, que se inspirou num castelo gótico medieval. Por isso, sua obra em Bellesguard é ecléctica: a Torre é gótica e modernista ao mesmo tempo, abrindo exceções no seu estilo com o uso de linhas retas, que não são uma característica em seus trabalhos.

Torre Bellesguard

Bellesguard tem quatro fachadas. O elemento de maior destaque está na característica cruz gaudiniana de quatro pontas. Bem embaixo da cruz há uma coroa, em referência a Coroa de Aragão, e abaixo dela encontram-se as quatro faixas amarelas e vermelhas da bandeira catalã.

Torre Bellesguard
Torre Bellesguard
Torre Bellesguard

Um recurso usado por Gaudí, para quebrar as linhas retas do castelo, foi cubrir as paredes com uma estrutura de tijolos e lajotas feitos com pedras achadas no local. Os diferentes tons das pedras fazem que a Torre mude de aparência dependendo da hora do dia e a incidência da luz.

Torre Bellesguard
Torre Bellesguard

Na fachada principal há uma roseta muito bonita, a “Estrela de Venus”. Essa roseta é maravilhosa, quando vista desde o interior da casa. Os especialistas acreditam que a roseta poderia simbolizar a estrela que guiou os Reis Magos ou Venus, a deusa do amor e da fertilidade, que teria abençoado com filhos a Martin O Humano. Poderia ser também uma amostra da paixão de Gaudí pela astronomia.

Torre Bellesguard
Torre Bellesguard
Torre Bellesguard

Os bancos na fachada principal e nos jardins, obra de Domènec Sugrañes, são puro simbolismo, com referências à história e a Catalunha.

Torre Bellesguard
Torre Bellesguard
Torre Bellesguard
Torre Bellesguard

O lindo trabalho em ferro forjado, uma característica das obras de Gaudí, também está presente nos exteriores da Torre.

Mas onde a linguagem do modernismo aparece mais evidente é no interior da Torre, um verdadeiro festival de formas, cores e luzes, que revela a magia de Gaudí e sua inspiração na natureza.

Torre Bellesguard
Torre Bellesguard
Torre Bellesguard
Torre Bellesguard
Torre Bellesguard

Gaudí pintou as paredes de branco, uma cor que potencia os efeitos da luz natural e que é perfeito para ver como se projetam as cores.

Torre Bellesguard

A Sala dels Maons, no alto da torre, ficou inacabada por falta de dinheiro.

Torre Bellesguard
Torre Bellesguard

Surpreendentemente essa é a parte da Torre que mais fascina os estudosos de Gaudí. Ao mostrar suas paredes sem qualquer revestimento, fica evidente o esqueleto da obra e as soluções arquitetônicas criadas por Gaudí, como a utilização de arcos e abóvedas para sustentar o peso da estrutura.

Torre Bellesguard

Quem subir até o alto da torre se sentirá o autêntico senhor do castelo, com seu labirinto de estreitos caminhos.

Torre Bellesguard

A surpresa final, coroando o passeio, fica por conta do fantástico dragão, que surge da combinação das linhas do telhado e de pequenas janelas, acompanhado pela lança de São Jorge, que se revela na forma da própria torre.

Torre Bellesguard

Visita

A Torre Bellesguard abriu para visitação em setembro de 2013. A página web da Torre contém muitas informações de interesse. Em ela podem ser consultadas todas as informações relacionadas à visita, incluindo preços e horários.

Há duas modalidades de visita:

  • visita panorâmica. Unicamente se visita a parte exterior da Torre Bellesguard e os jardins, além de um espaço audiovisual. A visita é feita com a ajuda de um audioguia. Não é necessário realizar agendamento prévio.
  • visita completa. Visita acompanhada por um guia, incluindo a parte externa da Torre Bellesguard e também o seu interior e terraço. A visita tem uma duração de uma hora. Há visitas em espanhol, inglês e catalão, com um horário por dia. Como os grupos são pequenos quem estiver interesse em realizar a visita completa deve comprar seus ingressos com antecedência (a compra pode ser feita aqui).

Ingressos

ingresso

A Visit Barcelona Tickets é a loja oficial de turismo da cidade de Barcelona, parceira do passaporte BCN. Saiba mais sobre ela aqui. Na Visit Barcelona Tickets você compra seus ingressos para a Torre Bellesguard aqui.

Como chegar

A Torre Bellesguard encontra-se nos números 16-20 do carrer Bellesguard. Veja aqui a localização no mapa.

A forma mais interessante de chegar até lá envolve dois meios de transporte:

  1. a linha L7, marrom, do metrô, que parte da Plaça de Catalunya e vai até a Plaça Kennedy.
  2. chegando na estação do metrô, é preciso sair dela e entrar no começo da Avinguda Tibidabo. No lado direito está o ponto da linha de ônibus de número 196. É uma linha muito interessante, porque no caminho até Bellesguard sobe primeiro até a estação base do funicular que leva até o Parc d’Atraccions del Tibidabo. Desça na estação Bellesguard/Ronda de Dalt. A Torre fica a 2 minutos.

Na volta, e se não estiver chovendo, sugerimos voltar até a Ronda de Dalt e continuar a pé por ela, passar pela frente do Cosmocaixa (Museu de la Ciència), situado em um prédio modernista do arquiteto Josep Domènech i Estapà, e descer a Avinguda Tibidabo, prestado atenção às espetaculares mansões modernistas que estão nessa avenida, incluindo a Casa Roviralta. No final da avenida, é só pegar de novo o metrô. O passeio demora de quinze a vinte minutos.

Dica do Passaporte BCN

A Torre Bellesguard é uma obra de Gaudí com um estilo único, que não vai ser encontrado em outras obras do arquiteto. Localizada fora do circuito turístico, o passeio até a Torre é uma chance de conhecer um bairro muito charmoso de Barcelona e várias construções modernistas de destaque.

6 comentários em “Torre Bellesguard”

  1. Eu que me gabava de conhecer quase todas as obras de gaudi, e o mês passado estive na cidade para ver a que me faltava, agora por culpa vossa vou ter de regressar!! Parabéns pela novo post, estou desejoso de conhecer

    1. Tony

      Prezado, sempre é bom ter motivos para regressar para um lugar. Felizes de ter te dado um para revisitar Barcelona! Você vai adorar a Torre Bellesguard. Abraços.

  2. Décio Lavos Coimbra

    Também me aconteceu como com o Luffi acima. Não que eu achasse que já conhecia quase tudo de Gaudi, mas quando saiu na revista “Boa Viagem”, de “O Globo”, ontem (23/03/2017), sobre “Bellesguard”, logo pensei: será que o Tony e a Cecília já escreveram sobre isso e eu “comi mosca”? Pois bem, vim procurar e vi que foi isso que aconteceu, vocês já tinham tudo muito bem explicado e ilustrado, e há tempos! Abraços.

    PS. na matéria da revista falam que a torre tem “altura de 33 metros, em referência à idade de Jesus Cristo ao morrer”. Procede?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *