flamenco em Barcelona, mico ou programaço?

Espetáculo de flamenco no Paral·lel, na segunda metade do século XIX, quadro de Llovera Bofill.

Apesar dos pilares da marca turística Barcelona estarem ligados ao modernismo / Gaudí, ao Barça e ao Mediterrâneo, existe uma considerável oferta turística direcionada ao visitante que quer assistir um espetáculo de flamenco. Aqui no passaporte BCN recebemos muitas consultas de leitores interessados em presenciar um show de flamenco durante sua estadia em Barcelona.

A julgar pelas inúmeras opiniões que já lemos em guias e blogs, um show de flamenco em Barcelona é um grande mico, o flamenco é uma arte típica do sul da Espanha que não tem nada a ver com a Catalunha. Será mesmo? Será que presenciar um espetáculo de flamenco em Barcelona vale a pena?

Vamos tentar ver quanta verdade há nesses mitos.

Mito 1: O flamenco não tem nada a ver com Barcelona

Fonte homenageando a Carmen Amaya em La Barceloneta.

Carmen Amaya, a maior bailaora da história do flamenco, nasceu em Barcelona. Antonio González Batista, El Pescaílla, compositor de flamenco e marido de Lola Flores, nasceu em Barcelona. A Catalunha é a terra de origem de um gênero de música aparentado com o flamenco, a rumba catalana (você já ouviu falar dos Gypsy Kings?). Peret, o rey de la rumba, nasceu na província de Barcelona. Artistas atuais do flamenco como os cantaores Mayte Martín, Miguel Poveda, Montse Cortés, Blas Córdoba, Ginesa Ortega ou Duquende, os guitarristas Rafael e Juan Manuel Cañizares, Juan Gómez ‘Chicuelo’, Juan Ramon Caro ou Pedro Javier González e a bailaora La Tani nasceram na Catalunha. Parece que flamenco e Barcelona tem alguma coisa a ver, sim.

Vamos dar uma olhadinha na história. O flamenco é uma manifestação artística que tem origem no sul da Espanha, na Andaluzia. Na metade do século XIX, o flamenco chega a Barcelona trazido pela imigração vinda da Andaluzia para a Catalunha (tanto de ciganos como de não ciganos). É importante salientar que existem registros de ziganos morando em Barcelona já no século XV, muito antes das primeras grandes ondas de imigração da Andaluzia. Barcelona concentrou inicialmente a maior parte da atividade flamenca e a imigração andaluza (que tem em Barcelona a maior comunidade andaluza fora da Andaluzia), que sempre teve a necessidade de manter vivas suas raízes.

Video mapping na fachada da Prefeitura de Barcelona com imagens de flamenco.

Os artistas catalães do final do XIX e início do XX ficaram fissurados com o flamenco e o adotaram como fonte de inspiração (vejam o quadro que ilustra o início deste texto).

O franquismo foi um período escuro para o flamenco na Catalunha, instrumentalizado pelo regime para transmitir um estereótipo do que era a Espanha. Ao mesmo tempo que isto acontece, no periodo entre 1950 e 1970, quase um milhão de andaluzes chegam à Catalunha buscando uma vida melhor. Os novos imigrantes se concentram em Barcelona, principalmente em sua região metropolitana. Com eles chegaram as peñas flamencas, pontos de encontro nos quais se manteve vivo o flamenco.

É nesta época quando aparecem os primeiros tablaos flamencos turísticos de Barcelona, alguns dos quais sobreviveram até o dia de hoje.

Ataulmente, o flamenco na Catalunha é um género com bastante vitalidade, mantido principalmente por artistas formados nas periferias das grandes cidades na década de 1980. Já a rumba catalana, a irmã catalã do flamenco, experimenta também um excelente momento.

No vídeo acima, o grupo Las Migas, de Barcelona, interpreta um clássico da rumba catalana, Gitana Hechizera, que o mestre Peret dedicou à cidade de Barcelona.

Mito 2: Show de flamenco em Barcelona é para inglês ver

Folhetos de divulgação de dois veteranos “tablaos flamencos” de Barcelona.

Agora é que são elas. Acabamos de ver que há tradição flamenca na Catalunha. O problema é conseguir estabelecer se os tablaos flamencos turísticos são o melhor lugar para se aproximar a essa tradição. A resposta não é fácil. Você pode imaginar que dependendo do local que escolher para assistir uma apresentação de flamenco em um tablao de Barcelona, provavelmente irá presenciar um produto altamente customizado para um turista internacional, sem conhecimento nenhum da linguagem do flamenco. O show pode ser ótimo ou ser muito ruim, sem que a maioria da plateia consiga perceber perto do que ficou o show que acaba de assistir.

Flamenco no Palau Dalmases.

Tablao flamenco em Barcelona é um pouco como show de tango em Buenos Aires. Todos eles são para turistas, mas há alguns que entram de cheio na categoria “grande mico leão dourado”, enquanto outros apresentam um show muito decente e fiel ao gênero que tentam representar (como por exemplo, os shows de flamenco no Tablao Cordobés, no Palau Dalmases ou no Palau de la Música Catalana).

Flamenco no Tablao Cordobés.

Independente da qualidade da apresentação, é possível afirmar que um show de flamenco na cidade, apesar da existência de raízes históricas como explicamos na primeira parte do texto, é um evento que está um tanto fora de contexto em Barcelona, cabendo perfeitamente em cidades como Sevilha, Granada ou Córdoba.

Show de flamenco no Palau de la Música Catalana.

Em termos gerais, nós do passaporte BCN, acreditamos que há tantos lugares interessantes para visitar em Barcelona, que você não vai encontrar em nenhum outro lugar do mundo, que o flamenco seria uma segunda opção de lazer. Já vimos que, ao contrário do que muitos pensam, o flamenco tem a ver com Barcelona, sim. Você está visitando Sevilha, Córdoba ou Granada? Aproveite para assistir um ótimo show na cidade.

Porém, se você não pretende ir para Sevilha, Córdoba ou Granada, estiver muito interessado em flamenco, e quiser assistir um show de flamenco em Barcelona, de qualquer maneira, não deixe de dar uma olhada no calendário dos grandes festivais. Pode ser que você esteja em Barcelona coincidindo com alguma apresentação dos grandes nomes da arte flamenca. Veja mais informação na seção sobre shows de flamenco em Barcelona.

6 comentários em “flamenco em Barcelona, mico ou programaço?”

  1. Avatar

    Pessoal!!!! Fiquei deslumbrada com o show do Tablao Flamenco Cordobes, uma qualidade espetacular, bailarinos, cantores e músicos da mais alta categoria e preparo, iluminaçào perfeita, som impecável! Sem contar na beleza e suntuosidade do Palau de la Musica Catalana. Obrigada ao Passaportebcn.com pelas dicas.
    Super recomento!!!!

    1. Tony

      Prezada Regina, que ótimo que você gostou da apresentação no Palau de la Música Catalana. Temos certeza que outros leitores vão adorar saber que vale muito a pena presenciar um show de flamenco em um lugar tão especial. Abraço.

  2. Avatar

    Só quando estive em Barcelona é que entendi que alguns estereótipos espanhóis não são necessariamente encontrados lá com a profusão que se espera, como flamenco, leques e touradas, por exemplo.
    Tive a sorte de ver uma linda apresentação de flamenco, em vários estilos, com cantaores, ambis com grupos profissionais, no Palau da Música. Um espetáculo! Certamente ficaria frustrada se fosse a uma casa noturna com tablado…
    Os leques foram uma decepção. Os baratos eram chineses e os poucos feitos na Espanha eram caríssimos, acima de 100 euros.
    Das touradas eu já sabia que não era o local e nem a época, mas muitos amigos me perguntaram se tinha visto uma.
    Depois que estive lá, ouso dizer até que Barcelona nem é Espanha – os separatistas iam adorar isto!
    Olé! 🙂

    1. Tony

      Prezada Carla, felizmente a cada dia contamos com mais viajantes informados para os quais estereótipos são só isso, estereótipos. Mas eles continuarão existendo, tanto para a Espanha como para qualquer outro destino do planeta, inclusive o Brasil. Tem muito gringo que pensa que vai encontrar uma mulher vestida de baiana em cada esquina do Brasil inteiro e que todo brasileiro sabe dançar samba. Costumamos indicar a apresentação de flamenco no Palau de la Música principalmente por causa do lugar, que é absolutamente espetacular. Os artistas são muito bons também, até porque são os mesmos artistas que você pode ver se apresentando nos diferentes tablaos flamencos da cidade. Agora, o cenário natural do flamenco é o “tablao”, show de flamenco no Palau tem uma outra conotação, legal e muito bonita, mas que nunca vai superar em “autenticidade” um show em um tablao, onde você pode contemplar de perto os rostos dos artistas, o coração bate forte no ritmo do sapateado e você consegue apreciar cada detalhe das maravilhosas roupas. Não pense que o espetáculo de flamenco em um tablao é um evento de menor qualidade, porque não é.
      Em Barcelona você pode encontrar alguma loja vendendo leques espanhóis de qualidade por volta de 50€. Mas leque comprado em Las Ramblas é roubada na certa. Todo mundo deve fugir dos leques chineses, são uma porcaria!
      Interessante que depois de viajar bastante pela Catalunha você percebe que Barcelona é, de longe, a menos catalã de todas as cidades da comunidade autônoma. Há muita coisa em Barcelona que é bem diferente do resto da Espanha, mas também muita coisa que a diferencia enormemente de cidades mais “puramente” catalãs como Girona, por exemplo. Gostamos muito de Barcelona precisamente por isso, por ser uma cidade muito aberta, porque podemos facilmente sair do Paquistão para entrar na Andaluzia e dar uma passada por lugares mais simbolicamente catalães. Muito obrigado pela sua contribuição! Abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *